Como criar um outdoor 27 metros – Illustrator, Photoshop e Bridge

Como criar um outdoor 27 metros – Illustrator, Photoshop e Bridge

September 8, 2019 57 By Peter Engel


Olá a todos!
Bem-vindos a mais uma vídeo-aula do canal Clube do Design.
Eu sou Liute Cristian. E, no vídeo de hoje, vou mostrar para vocês
como criar ou como recriar o outdoor de 27 metros que nós fizemos há alguns vídeos atrás,
utilizando basicamente os aplicativos da Adobe. Principalmente, o Adobe Illustrator CS6. Em um
vídeo anterior, nós construímos um outdoor bem grandão, esse outdoor que eu estou mostrando
aqui para vocês. Se você perdeu essa vídeo-aula onde eu mostro
inclusive algumas técnicas sobre como calcular a proporção para trabalhar com grandes formatos,
eu vou deixar aqui embaixo na descrição desse vídeo, para você assistir primeiro esse vídeo,
assistam primeiro o vídeo 1, depois, você continua assistindo esse aqui, para que você
entenda direitinho o que eu estou falando, para que você consiga assimilar melhor as dicas que
eu vou dar para vocês aqui hoje. Como eu prometi para vocês, a gente montou a
primeira fase, montamos o primeiro outdoor, utilizando o CorelDRAW, o Photoshop, enfim, os
aplicativos que a maioria das pessoas já está habituada a utilizar. E hoje, nós vamos utilizar
basicamente, os aplicativos da Adobe. Adobe Illustrator que acaba sendo o bicho de sete
cabeças de muitas pessoas, que ainda estão começando a conhecer o aplicativo, vamos
utilizar também o Adobe Photoshop, para fazer edição de imagem, como a gente já conhece, e a
ponte, o Adobe Bridge, que é o gerenciador de arquivos que acompanha a Creative Suite.
Vou estar utilizando os aplicativos na versão X6, você pode utilizar, desculpa, na versão CS6,
você pode utilizar na versão CS5 até a CS4. Daí para trás, já não garanto que você vai encontrar
os recursos muito parecidos com os que a gente vai ver aqui.
Esse aplicativo que você está vendo aberto na minha tela, é o Adobe Bridge, que é a ponte, que
é o gerenciador de arquivos dos aplicativos da Adobe, da Suite Adobe. E, ele serve
basicamente, para que você possa visualizar, navegar, classificar, e até mesmo, editar as suas
imagens, as suas fotos, utilizando alguns recursos interessantes, como o Adobe Camera
Raw, que eu vou apresentar para vocês em outro vídeo.
A partir do Adobe Bridge, você consegue manipular ou controlar, você consegue na
verdade abrir a sua imagem em qualquer um dos aplicativos que você tem instalados no seu
computador. Você pode por exemplo, abrir uma imagem diretamente no Photoshop, pode inseri-la
diretamente no InDesign, ou no Illustrator. É isso que a gente vai ver aqui hoje.
Primeiro de tudo, a gente vai criar um outdoor que trabalha com um tamanho bem grande, um
outdoor de 27 metros, que na verdade, foi uma empreitada um pouquinho diferente, nunca tinha
trabalhado com esse formato. Onde, uma empresa alugou 3 espaços de outdoor um do
lado do outro, juntou tudo e fez um outdoor grandão. O primeiro passo na verdade, é você
reunir as imagens que você vai utilizar no Projeto. Coisa que a gente viu no vídeo anterior.
Então, eu vou pular toda essa parte de introdução, e vamos partir logo para a parte
prática. A primeira coisa que eu fiz na verdade, foi a edição das imagens que eu vou utilizar
nesse outdoor. O cliente selecionou 3 imagens que serão utilizadas. No caso, a imagem desse
rapaz aqui, esse moreno com camiseta branca e a mochila. E também, duas moças. No caso essa
moça aqui também, e esta outra moça, essa outra modelo aqui também.
Todas as imagens foram adquiridas a partir do Shutterstock, são imagens profissionais, coisa
que eu também recomendo a você. Você só consegue trabalhar legal com imagens de boa
qualidade. Se você tiver algum plano de banco de imagens, como o Shutterstock ou Fotolia, coisa
que eu vou deixar também para vocês o link aqui embaixo, na descrição do vídeo, para você
conhecer cada um desses bancos de imagem. Depois que a gente fez o outdoor com a imagem
Comp, que foi o vídeo anterior, o cliente analisou, fez as devidas alterações, aprovou as fotos,
aprovou as imagens, que até então haviam sido usadas com marca d’água, você pode conferir
isso no vídeo anterior. Depois que ele disse: Beleza, Ok Liute, serão
essas imagens mesmo. Aí, a gente pega a referência da imagem, que é esse código que tem
na imagem Comp, e a gente salvou também na aula passada, volta lá para o banco de imagens,
e compra a imagem original, a imagem final. Você pode comprar a imagem ou o seu cliente
pode comprar a imagem, enfim, do jeito que você achar necessário, não vamos entrar em maiores
detalhes, quanto a isso. Então, o primeiro passo neste caso, seria editar as imagens no
Photoshop. Para fazer isso é muito simples. Quando você está no Bridge, para você abrir
uma imagem no Photoshop, basta você dar dois cliques sobre ela. A imagem, automaticamente vai
aparecer no Photoshop, para que você possa editá-la.
Deixa eu só cancelar essa janelinha que estava aberta aqui. E a imagem é carregada no Adobe
Photoshop. Muitas pessoas me perguntaram: Liute, qual é o tamanho ideal para que eu compre
a minha imagem? Qual é o melhor tamanho para a minha imagem? Observe bem: Quando você
compra uma imagem em um banco de imagens como o Shutterstock por exemplo, você pode
escolher vários formatos: Pequeno, Médio, Grande, Extragrande.
Claro que é sempre recomendável, você trabalhar, caso você vá trabalhar com grandes
formatos, utilizar sempre imagens de médio para cima. De médio para baixo, já não daria para você
ter bons resultados. Então, a partir do tamanho médio, a imagem com o seu lado menor de pelo
menos 1000 pixels, já é suficiente para você trabalhar com qualquer formato grande.
Para que você tire a prova dos nove, a gente pode fazer um pequeno cálculo com essa
imagem que eu tenho aberta aqui. A gente sabe, que a gente vai trabalhar com um outdoor de 27
metros. Onde, você pode trabalhar proporcionalmente. Você não precisa fazer o
outdoor em tamanho integral, todo o tamanho que você vai usar, no caso, um outdoor de 27 metros,
você não precisa desenhar, produzir ele no aplicativo, com 27 metros de largura. Até mesmo
porque, você precisaria de uma supermáquina, para processar tudo isso de informação.
A gente vai trabalhar com proporções de 6% a 10%, como eu falei para vocês também, na aula
anterior. Eu gosto de trabalhar com 10%, que dá uma margem melhor, para que eu tenha uma
qualidade acima da média. E, vamos calcular ainda quanto seriam os 10% na altura do meu
outdoor, vamos dizer assim. Vamos comparar a altura dessa imagem que eu tenho aqui, com a
altura que eu preciso trabalhar no outdoor. Primeiro, ao abrir aqui o menu Image, Image Size,
que seria o menu Imagem, Tamanho da Imagem, no Photoshop em português, você vai perceber o
seguinte: O Photoshop vai mostrar duas medidas, a medida em pixel, que seria a medida da tela do
computador, seria a medida física dela no computador. Seriam 3404 pixels de largura, por
5105 de altura. Aqui embaixo, ele vai mostrar para mim, o
tamanho do documento. Seria o que a gente poderia chamar de resolução de impressão. Eu
gosto de chamar assim, porque aqui ele mostra para você a resolução real de impressão desse
documento, que é de 300 DPi. Ou seja, quando você imprimir essa imagem, a sua impressora vai
conseguir imprimir a 300 DPi. E, o tamanho em centímetros com base nessa
resolução é: 28 de largura por 43 de altura. Então, eu tenho uma imagem de 43 centímetros
de altura. É uma imagem grande. É quase meio metro. Agora, quanto realmente, a gente vai
precisar dessa imagem, para trabalhar com o nosso outdoor? Lembrando: Uma imagem de
5000 pixels de altura, a 300 DPi. Se essa imagem for por exemplo, de 72 DPi, muito
provavelmente você vai ter uma quantidade de altura em pixels bem menor, a não ser que você
tenha aqui por exemplo: Uma imagem de 72 DPi, com 10000 pixels de altura. Aí, já vai ser mais
equivalente, você já vai ter um valor mais legal para você trabalhar, mesmo que não seja
suficiente. Partindo para a nossa parte do cálculo, a gente
vai observar o seguinte: Eu preciso dividir 3 metros, um outdoor de 3 metros de altura, eu
preciso de apenas 10% desse tamanho. Para fazer esse cálculo, a gente vai utilizar a medida
padrão: Centímetros, Metros, o que você quiser. Eu vou usar centímetros, porque fica muito mais
fácil. Para calcular os 10% de 3 metros, você vai
precisar da calculadora, digitar 300×10%. Quem assistiu a última aula, viu que eu apanhei para
caramba com a calculadora, porque depois de clicar no percentual eu estava clicando no
IGUAL, que não pode ser. É só os 3 metros, 300 centímetros, vezes 10%. Clicou no por cento,
pronto! Já tem o valor aqui. 30 centímetros de altura.
Então, eu tenho uma imagem de 42 centímetros. Eu só preciso de 30 centímetros, para trabalhar
proporcionalmente. Então, eu tenho mais do que suficiente para trabalhar no outdoor que eu estou
projetando. Não tem segredo nenhum. É só você observar essas questões. Imagens com pelo
menos 1000 pixels do lado menor, se essa imagem aqui não fosse suficientemente grande,
como 43 centímetros de altura, mas se ela tivesse 1000 pixels do lado menor, a 300 DPi,
beleza! Já daria, o lado menor no caso seria a largura, já daria para mim trabalhar tranquilo.
É um método que eu estipulei, não é uma regra. É a maneira com que eu me sinto confortável
trabalhar, você pode especificar suas próprias regras, caso haja necessidade, caso você
encontre outra necessidade. Então, deu para entender como é que funciona o cálculo do
tamanho da imagem? Da proporção da imagem? Espero que sim. Está tranquilo.
O que você vai fazer no Photoshop, quando você abre essa imagem? O legal é que no Bridge, você
pode selecionar todas as imagens de uma vez. Deixa eu abrir aqui todas elas. Clicando aqui em
Tools, você pode, em Photoshop, Abrir… Cadê? Acho que é aqui em File, Open. Clicando no
Open, automaticamente ele já vai abrir todas as duas imagens lá no Photoshop.
É só aguardar um pouquinho, o programinha de gravação pesa um bocado. As imagens também
tem um tamanho um pouco grande. Selecionando todas as imagens e clicando lá em File, Open, ou
Arquivo, Abrir, ele vai abrir tudo no Photoshop, que é o aplicativo padrão para abrir as imagens.
Depois de abrir as imagens no Photoshop, a gente vai simplesmente remover o fundo, é muito
fácil de remover o fundo dessas imagens. Eu vou fazer aqui a remoção apenas de uma, para você
se familiarizar. Eu tenho uma imagem aqui, que está em excelente condição, em excelente
estado. Uma imagem de alta definição, que vai me proporcionar um trabalho bem acabado.
Você pode utilizar qualquer técnica de seleção que você achar confortável. Essas técnicas,
inclusive, eu já mostrei em vídeos anteriores do nosso Curso Prático de Photoshop. Eu vou usar
aqui, o método de preguiçoso, da varinha mágica. Não é de preguiçoso, é o método mais rápido
nesse caso. Vou usar aqui a varinha mágica. Deixa eu
aumentar aqui o tamanho dessa varinha. Pegar aqui a varinha mágica mesmo. Aquela ali era a
seleção rápida. Eu vou clicar aqui no plano de fundo, acabou selecionando toda a camisa do
meu modelo, eu não quero isso, é só pressionar o Ctrl+D para tirar. Eu vou diminuir a tolerância
para 10% apenas, e vou clicar aqui na opção para adicionar as seleções. Eu vou adicionar
novas seleções a uma que já existe. Vou clicar no plano de fundo. Vai selecionar todo
mundo, selecionou bem menos aqui a camisa do modelo. Vou observar aqui também, que eu
acabo tendo uma pequena suavidade nessa seleção, isso não é problema! Porque, depois eu
posso corrigir isso, utilizando as opções de refino de seleção, que a gente também já
conheceu em vídeos anteriores. Só observando aqui na lateral.
Já selecionei praticamente todo o meu plano de fundo que é branco, muito fácil de selecionar e
acabei selecionando um pouquinho aqui, da camiseta. Isso não é problema. Utilizando o modo
de seleção Máscara Rápida, pressionando a letra Q do meu teclado, eu consigo pintar as áreas que
eu quero proteger da seleção, utilizando o pincel. Então, depois de pressionar o Q, ou clicar aqui
embaixo, para entrar no modo de Máscara Rápida, vou pressionar a letra B, para que eu
ative o pincel. Observando sempre que, a cor do pincel tem que ser preta ou branca. O preto, vai
proteger a área contra a seleção, o branco, vai selecionar a área que eu acabar pintando,
acabar revelando aqui. Então, eu vou pintar de preto, vou pressionar o X
para inverter para o preto. Se tiver outra cor, é só pressionar o D de dado, para dar um RESET. E
vou configurar o meu pincel. Lembrando: Para você configurar o pincel, é muito fácil! Você
pode, tanto clicar com o botão direito e escolher as opções, ou você pode segurar a tecla Alt,
clicar com o botão direito, e deslocar o mouse para um lado e para o outro, para alterar a sua
dimensão, ou para cima e para baixo para alternar a sua suavidade.
Vou colocar um pincel aqui mais ou menos, teclinha Alt, botão direito ainda segurando. Uma
suavidade mais ou menos, e vou pintar essas áreas da camiseta do meu modelo. Se você
quiser fazer com a caneta, não tem problema. Se quiser fazer com o laço poligonal, tanto faz. Você
pode selecionar da maneira que achar conveniente. Não há nenhuma regra. O
importante é o resultado final. Uma seleção meio descuidada, uma seleção um
tanto despreocupada, só para a gente agilizar o nosso processo de produção. Vou só dar alguns
cliques aqui. Selecionei todo o plano de fundo, vou pressionar o Q novamente, e agora eu posso
simplesmente, adicionar uma máscara. Você não precisa refinar a seleção ainda.
Vou clicar aqui, já está na verdade com a camada de plano de fundo selecionada, a minha
seleção já foi feita, se você quiser você pode salvar essa seleção, caso precise
posteriormente, clicando aqui em Select, Save Select. Vou simplesmente criar uma máscara e
pronto! Ele vai remover o meu modelo. Beleza! Poxa, não era isso que eu queria. Eu queria que o
fundo fosse removido e não o modelo. Tranquilo! Basta você selecionar a máscara que você
adicionou em sua camada, pressionar o Ctrl+I, ou clicar em: Imagem, Ajuste, Inverter. Image,
Adjustment, Invert. Aí, você inverte a seleção e você tem o seu modelo sem plano de fundo.
Lembra que a gente ficou com uma pequena suavidade branca ao redor do nosso modelo?
Tranquilo. Eu vou resolver isso de letra, apenas editando a nossa máscara. Como a gente pode
fazer isso? Depois de pegar a máscara e fazer a inversão, você pode dar dois cliques sobre a
máscara que vai abrir o painel de propriedades, Properties, que também pode ser aberto
acessando o menu Window, Propriedades aqui embaixo: Properties, vocês sabem que o meu
inglês é horrível, eu não sei falar inglês, mas a gente vai inventando algumas palavrinhas aqui.
Dando dois cliques aqui, você abre esse painel, onde você pode, tanto controlar a densidade, que
será a opacidade dessa máscara que está escondendo o fundo da sua imagem. Um detalhe
interessante, é que quando você usa a máscara, embora o plano de fundo não esteja aparecendo,
ele está apenas oculto, não está apagado. Se você se arrepender: Ah, queria o meu plano
de fundo de volta. Você pode simplesmente, eliminar a máscara ou até mesmo, fazer
pequenas correções, utilizando o próprio pincel. A mesma regra que a gente viu agora há
pouquinho na máscara rápida. Basta pressionar o B, para selecionar o pincel. Quando eu pinto de
branco, eu acabo revelando, quando eu pinto de preto, eu acabo escondendo. Coisa muito
simples, que a gente já viu várias vezes. Então, eu vou refinar essa seleção, vou refinar
essa máscara, clicando aqui na opção: Mask Edge. Lembra do Refine Edge que a gente
conheceu em aulas anteriores? É muito semelhante. Clicando em Mask Edge, essa opção
se eu não me engano só aparece a partir da versão CS5. No CS4, provavelmente você não
vai encontrar, daí para trás você não encontra nem o Refine Edge da seleção também, não tem.
Eu trabalho com o CS3 no escritório ainda, e não tem nenhuma dessas opções infelizmente. Mas, a
partir da versão CS5, você já tem. Clicando em Mask Edge, a gente vai poder refinar o nosso
recorte com a máscara. Para fazer isso, eu vou precisar revelar o fundo preto, só para a gente
fazer uma comparação. Você pode fazer isso, alternando os modos de
exibição da máscara, do refinamento de máscara. É só ir clicando aqui, e ir escolhendo o
que lhe convier. Vou selecionar aqui, esse que tem o fundo preto, e agora a gente vai fazer
justamente, um refinamento para acabar com esse efeito de serrilha, e com essa invasão que
ainda acabou sobrando aqui, nas arestas do nosso recorte.
Selecionei aqui o modo de máscara rápida, vou aumentar um pouquinho aqui o Smooth, que seria
uma espécie de suavidade de canto, vamos dizer assim. Vou aumentar aqui o Feather, que seria já
a suavidade das arestas. Quanto mais eu aumentar aqui o Feather, deixa eu aumentar aqui.
Tá exibindo ali para a gente? Tá né? Deixa eu ver aqui, deixa eu aumentar o contraste, o Shift Edge.
Parece que o meu computador não está exibindo o efeito. Eu acho que ele está carregando.
Vamos esperar ele carregar. É, acabou aparecendo.
Porque tá um pouquinho pesado, o computador não está se garantindo. Ah, eu acho que eu sei
porque, está no modo economia. Vamos ver se agora ele vai dar um salto no desempenho. Então
vamos lá. Diminuindo aqui o Shift Edge, nem tanto, só um pouquinho. O Feather e o Smooth ficaram
muito altos. O Contraste também. Olha só que legal. Viram?! Olha só a diferença.
Conseguem perceber o que a gente tem agora, para o que a gente tinha antes? Deixa eu dar uma
analisada aqui nos outros pontos da imagem, para ver se não tem nada muito exagerado
acontecendo aqui pela lateral. Está perfeito o recorte. Então, observem que
aumentando um pouquinho o Smooth, que seria a suavidade de canto, Feather que é a suavidade
das arestas, o Contraste que vai definir melhor ainda o corte, mais contraste e menos contraste,
vai refinar ainda mais as arestas. E o Shift Edge, é o deslocamento que esse recorte terá, sobre a
minha imagem. Mais para dentro, mais para fora, como você quiser.
O que é mais legal, é que você pode também habilitar, depois de fazer esse recorte, é isso
aqui: Habilitar a opção Decontaminate Color. Isso serve para que, os efeitos de iluminação, na
verdade, a invasão de luz, a invasão de luz azul por exemplo, aqui do lado, seja eliminada.
Se eu marcar essa opção: Decontaminate Color, você já vai perceber que a linha azul que tinha
aqui ao redor, ela desaparece. Essa descontaminação de cores, vai servir
principalmente se você tiver o cabelo muito invadido pelo plano de fundo da imagem, por
exemplo. Uma moça loira, tirou uma foto num fundo azul, o cabelo dela acabou ficando todo
azulado por causa da invasão, do reflexo da luz. Aí, você pode utilizar esse recurso
Decontaminate Colors, justamente para eliminar essa invasão de luz e controlar melhor, como o
seu recorte vai trabalhar sobre essa invasão. Depois disso, deixa eu clicar aqui, clica aqui para
deslocar. A gente já tem o nosso resultado final. Está perfeito, está legal. Para um outdoor que vai
ser visualizado de longe, está ótimo, está excelente, com um acabamento que realmente
ficou melhor do que eu esperava, para um recorte rápido.
Aqui embaixo, você pode escolher a opção, ele vai, quando habilita o Decontaminate Color,
obrigatoriamente, você vai ter que selecionar um desses nomes. Não pode carregar só uma
seleção e nem só uma máscara. Ou você carrega em uma nova camada, já com o fundo
eliminado, apagado completamente. Em uma nova camada com uma máscara, seria o ideal para o
meu documento. Vou clicar em uma nova camada com uma
máscara. Clicando no OK, a gente vai ter uma cópia da camada de baixo, com a nova máscara
já totalmente editada, refinada e sem invasão de cores. Perfeito. Era só isso que eu precisava.
Eliminei o fundo, e o que eu vou fazer agora? Dar um Ctrl+S e salvar o arquivo com o nome original,
sem problema nenhum. Está aberto aqui né? Deixa eu fechar, dar um Ctrl+S e salvar com o
nome original no formato PSD com o fundo transparente.
Fazendo isso em todas as suas imagens, você já pode partir para a produção do material no Adobe
Illustrator. Lembrando que se precisar, se for necessário, você pode editar a sua imagem,
adicionar por exemplo, uma camada de ajuste de curvas. Deixa eu fechar isso aqui. De curvas,
para você aumentar um pouquinho mais o contraste, deixar a pele ainda mais morena, com
uma cor bem legal, um bronzeado muito legal. Olha! Moreno de olhos castanhos, que coisa
bonita. Então gente, continuando. Você pode editar da
maneira que você quiser, depois é só salvar que tudo isso se reflete aqui no Bridge, você tem a
sua imagem com os mesmos recursos utilizados lá no Photoshop, no formato PSD.
Editou tudo, preparou as suas imagens, a gente vai partir agora para o Adobe Illustrator. Clicando
aqui no Adobe Illustrator, que por enquanto está vazio, vou criar um novo documento clicando em
File, New, que seria o mesmo que Arquivo, Novo, na versão em português. E para evitar muito
retrabalho, a gente vai alternar aqui o perfil para o padrão de impressão.
Agora, a gente só precisa configurar o tamanho final do nosso outdoor, do nosso projeto. Eu vou
mudar aqui a unidade para centímetros ou para milímetros, da maneira que você achar
necessário, isso aqui tanto faz, são apenas unidades de grandeza. E vou agora, precisar
recalcular a minha largura e a minha altura do meu projeto, utilizando a nossa boa e velha
calculadora. Eu preciso de um outdoor de 27 metros, que vai
dar 2700 centímetros. Multiplicando isso por 10%, eu vou ter 270 centímetros. Então, é só você
configurar a largura para 270 centímetros. E a altura, a gente sabe que é 30 centímetros. Pronto!
Agora a gente já tem o tamanho final, o tamanho proporcional, de 10% do nosso outdoor. Só para
conferir é isso mesmo, é 2700 milímetros, que em centímetros vai dar 270 centímetros por 30
centímetros. O Illustrator, ele tem um limite de largura de
página. Se eu não me engano, ele só vai até 1000 centímetros. Mais do que isso ele não permite. Se
eu não me engano, eu não tenho certeza, mas não precisa trabalhar com todo esse formato,
justamente por isso ele não oferece esse suporte.
Se você precisar adicionar sangria, claro que em nenhum outdoor você precisa colocar sangria,
mas se precisar, a configuração é aqui em Bleed. Observem que eu aumentei aqui, eu expandi o
painel, clicando na opção Advanced. Isso quer dizer que eu posso selecionar opções
avançadas. Eu posso por exemplo, alternar o modo de cores,
que vai ser CMYK porque vai ser impresso. Os Raster Effects, são os efeitos de rastreamento.
Os efeitos de sombra e transparência, utilizam essa configuração aqui, para serem exibidos na
tela. Depois, vão ser finalizados também. Então, você pode configurar para o tamanho máximo,
que é 300 DPi, sem problema nenhum. E aqui embaixo, você tem o modo Preview, que é
o modo Default, ou Pixel ou Overprint, que são os modos de exibição. Default, vai exibir o modo de
exibição padrão, você vai ver na tela, tal como vai ser impresso. Em Pixel, vai exibir os
bloquinhos, os quadradinhos de pixels na tela. E, o Overprint, exibe todas as impressões
sobrepostas que você configurar no documento, coisa que a gente viu também em outro vídeo que
a gente falou sobre Overprint e sobre impressão sobreposta.
Se você quiser, você pode marcar a opção: Alinhar novos objetos à Grade de Pixels, isso é
legal, se você for trabalhar com Web. E aí, você clica, depois de configurar tudo, se quiser define
um nome também, vou deixar assim mesmo, clica no OK. E aí, o seu Outdoor de 27 metros ou de
270 centímetros, está aberto, está criado, prontinho para você trabalhar.
O que a gente precisa? Criar o nosso plano de fundo primeiro, seguindo a mesma ordem que a
gente utilizou lá no CorelDRAW. A diferença é que no Illustrator, você vai precisar de um pouco
mais de organização. Justamente, para que facilite a sua edição, depois que você for inserir
imagens, textos e todo o resto do conteúdo que vai ser introduzido no seu Outdoor.
Para isso, a gente vai expandir aqui do lado, o painel lateral, a Dóca de Painéis. Se você tiver
com uma área de trabalho diferente da minha, eu recomendo que você dê um reset na sua área de
trabalho. Clica no menu Window, Workspace, que seria Janela, Espaço de Trabalho ou Área de
Trabalho, Essentials. Se já tiver marcado o Essentials, e mesmo assim estiver diferente,
você vai lá e clica em Reset Essentials. Você pode fazer isso, utilizando o alternador de
Área de Trabalho aqui em cima. As mesmas opções aparecem aqui. E todo mundo fica com a
área de trabalho igual. A gente vai expandir a Dóca do lado direito, para que a gente tenha
todos os painéis expandidos. E o que a gente vai precisar aqui, é justamente das opções:
Aparência, que é o painel Aparency, e o painel de camadas, que é o painel Layers.
Observe, que a gente tem apenas uma camada, se você trabalha com Photoshop, você já está
habituado a trabalhar com camadas. O CorelDRAW também permite fazer isso, que a
gente nem chegou a fazer, porque lá eu acho muito mais fácil vincular os objetos, por causa da
maneira com que o CorelDRAW seleciona. Mas, no Illustrator, a gente pode organizar tudo em
camadas, para facilitar a nossa vida, caso a gente precise editar etapas separadas do nosso
projeto. Eu vou nomear essa camada aqui, Layers, para
Fundo. Colocar: Fundo, você pode colocar Background, Plano de Fundo, enfim, do jeito que
você quiser. E vou criar um novo quadro, utilizando a Ferramenta Retângulo. O que é legal,
é que ele vai sempre, grudar vamos dizer assim, vai bloquear quando eu me aproximar, quando eu
aproximar a Ferramenta Retângulo, das arestas da minha página. Se isso não acontecer, você
pode clicar no menu: View, e marcar as opções Snap, Snap To Point, Snap to Grid, para que ele
faça essa opção de auto grudar, auto se encaixar nas arestas de objetos, e da página
também. Então, vamos criar um objeto do tamanho da
página, clicando aqui no nózinho, intersect, e arrastando até o outro lado. Criei o meu quadro.
Observem que esse quadro tem apenas contorno, não tem preenchimento. Você pode, se
quiser, colocar um preenchimento aqui, utilizando a opção Fill, que é a opção de preenchimento,
dando dois cliques. Colocando uma cor qualquer, só para você ver aí, o quadro que a gente criou
no nosso fundo. Ótimo, tranquilo. Agora, a gente utilizou uma imagem lá no nosso
Outdoor, que era uma imagem desfocada, um plano de fundo um pouquinho diferente, para
utilizar no nosso Outdoor. A gente vai fazer o mesmo efeito, só que dessa vez no próprio
Photoshop. Então é isso, eu vou abrir a imagem original, cadê
a minha imagem? Deixa eu procurar ela aqui. Creio eu, que eu não baixei esta imagem, não
salvei ela aqui. Mas, vamos pegar aqui, aquela imagem de amostra. Deixa eu só encontrar a
pasta principal aqui no Bridge. Disco E. Não é nos arquivos do negão. Já vai estar aqui em
Favoritos. Documentos, que é mais rápido. Eu vou lá para JOBS, IEPAM, Campanha de
Matrícula, e aqui eu vou encontrar a imagem que eu usei lá, que eu acabei não deixando
armazenada aqui. A gente vai só, esperar o Bridge carregar as miniaturas. Essa imagem.
Beleza! Vamos abrir ela no Photoshop e vamos aplicar o mesmo efeito que a gente fez lá no
CorelDRAW. Eu sei que eu preciso de 270 centímetros de
imagem, só de largura, por 30 centímetros de altura. A gente pode configurar a nossa
prancheta, a nossa tela de pintura no Photoshop muito facilmente. Antes de fazer isso, eu vou
desbloquear a camada de Background, dando dois cliques nela aqui, e clicar no OK.
Isso vai fazer com que, ao expandir a minha prancheta de pintura para o tamanho que eu
quero, para o tamanho final, que é a largura do meu Outdoor, ele mantém o fundo transparente.
Vou clicar aqui no menu Image, Image Size, não! Canvas Size, que seria Tamanho da Tela de
Pintura, na versão em português. E aí, a gente vai configurar os 270 centímetros de
largura, por 30 centímetros de altura. Se você marcar o Relative, ele vai acabar expandindo
proporcionalmente, deixa desmarcado. Vou marcar aqui, para expandir apenas para o lado
direito, pressionando só para o lado direito, e clicar no OK. Continue. 30 mil pixels, está
avisando aqui que vai ficar pesado para caramba. Não tem problema. E olha só que
bacana! A imagem é minúscula, em relação ao tamanho final. Não tem problema.
Vou dar um Ctrl+T aqui, utilizando essa camadinha selecionada para aumentá-la no
tamanho que eu quero. Pronto! E vou pressionar o Enter, para que ela confirme a edição de
alteração de tamanho. Tudo o que eu preciso fazer agora, é fazer algumas cópias, algumas
duplicações nessa camada. Aumentar mais um pouquinho né?! Ctrl+T de novo, aumentar mais um
pouco, para mim não precisar usar tantas imagens, para preencher o meu arquivo. Enter.
Vou pressionar o Ctrl+J, depois de fazer essa alteração, para duplicar a camada, e vou arrastá-
la para o lado, colocando ela em um outro ângulo. Colocá-la mais em cima. Posso inclusive, dar um
Ctrl+T e inverter ela horizontalmente, só para ficar um pouco mais diferente. Só para não ficar
muito igual ao que eu tenho lá embaixo, ótimo, dar um Enter.
Novamente, vou duplicar essa camada. Ctrl+J, e vou abaixar agora, para pegar somente aquele
loiro ali atrás. Pronto! Eu tenho 3 imagens, é mais do que suficiente para mim preencher o restante
do meu plano de fundo. Gente, lembrando que eu estou trabalhando com uma imagem Comp, por
isso que ela é pequenininha assim. Não vai precisar redimensionar tanto assim, a sua
imagem original. Colocando tudo como eu quero, tudo no lugar
certo, agora eu preciso apenas aplicar o meu desfoque. O desfoque que vai dar aquele efeito
bonitão, que a gente tinha lá no Outdoor anterior. Para isso, eu vou selecionar todas as camadas,
clicando em uma, segurando Shift e clicando na última. Vou pressionar o Ctrl+E, para soldar ou
para mesclar todas elas, pronto! Vão virar apenas uma. E a partir de agora, eu já posso
aplicar o meu efeito de desfoque. Como eu sou muito esperto, e posso não acertar
no primeiro efeito, eu vou converter essa camada, em um objeto inteligente. Isso vai permitir
que eu possa editar e reeditar, e reeditar o efeito que eu aplicar, posteriormente. Clicando com o
botão direito, eu vou selecionar a opção: Convert to Smart Object, Converter em Objeto Inteligente.
Agora, eu posso aplicar o meu efeito de desfoque sem medo, e depois eu vou poder
reeditá-lo, caso o resultado não fique bom na primeira vez. Claro! Aquela velha demora, esperar
aí ele terminar. Perfeito. Terminou. Vem aqui agora em Filter, Blur, você pode escolher Gaussian Blur,
se tivesse marcada a opção aqui Lens Blur, eu já marcaria o Lens Blur, mas eu acho que por causa
do tamanho do documento ele não está permitindo. Ou seria pelo modo da imagem?
Image, Mode. Está em RGB? Tá tranquilo. Então, vamos lá.
Filter, Blur, Gaussian Blur. Seria: Filtro, Desfoque, Desfoque Gaussiano, no meu português, que a
minha língua é muito melhor do que o meu inglês. Pronto. Ele vai aplicar o efeito aqui na minha
miniatura. Deixa eu diminuir mais aqui, para mim ver de longe. Deixa eu desmarcar o Preview,
para ele não ficar travando a minha tela toda hora, não ficar tentando atualizar ali atrás.
Vou aumentar aqui, o meu efeito de Gaussian Blur, até eu ter um efeito parecido com o que eu
quero, olha aqui na miniatura, é mais ou menos isso. Vamos ver aqui a emenda, não vai aparecer
muito? Pronto. Já tenho o resultado que eu quero. Está perfeito. Clico no OK e pronto. Agora, é só
esperar ele aplicar o efeito, que por causa do meu aplicativo de gravação, vai demorar bastante
tempo. Prontinho. O efeito foi aplicado, e olha que
bonitinho que ficou o nosso plano de fundo. Legal, bacana, perfeito. Se você precisar alterar
qualquer coisa no efeito, é só você dar dois cliques aqui sobre o efeito do seu objeto
inteligente, e refazer a edição. Ele vai refazer, reaplicar o filtro de maneira inteligente, é uma das
principais vantagens de se utilizar objetos inteligentes no Photoshop.
Como o meu já tá bom, eu vou achatar essa imagem, clicando no menu Layer, seria camada,
Flatten Image, que seria a opção Achatar Camadas ou Achatar Imagem, para que ele grude
tudo, faça a mesclagem de tudo, deixando a imagem em um padrão só, em uma camada
Background. Depois, eu posso salvar esse resultado, utilizando, deixa eu ver, está no
formato Large, deixa no PSD mesmo, que é o formato bem grandão, do próprio Photoshop.
Salvar aqui, pronto. Perfeito. Resultado salvo, eu posso fechar. Vamos ver
como ficou lá o nosso arquivo no Bridge? Perfeito. Está aqui ele. Vamos ver o tamanho do
arquivo, se não ficou muito grande. 46 MB, ficou grandão. Você pode trabalhar com uma
proporção menor, para evitar esse tipo de problema, já que é uma imagem de fundo, e que
caracteristicamente, já está desfocada. Dá para dar um tamanho menor, para evitar ficar com tudo
isso de tamanho. Bom gente, então agora, a gente só precisa
carregar essa imagem no Illustrator. Você pode fazer isso, simplesmente arrastando aqui para
dentro da janela do Illustrator, deixa eu só, opá! Illustrator está aqui né?! Soltando aqui dentro,
perfeito! Ele já vai ser inserido automaticamente, no seu aplicativo. Prontinho. Ela vai ser inserida,
e aí você pode colocá-la sobre o seu plano de fundo.
Se você quiser, se você quisesse na verdade, utilizar como PowerClip, poderia ter feito também.
Eu poderia ter trabalhado com as imagens separadamente, para ficar mais leve, e depois
duplicar no Illustrator, enfim, você tem várias maneiras de fazer isso, eu utilizei eu acho que a
mais simples, a mais fácil de todas. Como eu já tenho o meu plano de fundo,
exatamente do tamanho da minha imagem final, eu talvez não precisasse do quadro que eu
acabei de apagar. Mas, eu vou precisar dele, porque as outras imagens vão ser inseridas
dentro dele. Então, o que eu vou fazer aqui, gente? Depois de
criar a minha imagem de plano de fundo, eu preciso colocar ela em PowerClip, o pessoal
conhece essa palavra. No Illustrator, o PowerClip que você conhece no CorelDRAW, se chama
Clipping Mask, que seria Máscara de Recorte, vamos dizer assim.
Para fazer isso, você só precisa posicionar o objeto atrás do recipiente, olha só! Eu quero
colocar essa imagem, dentro do quadro vermelho, como se fosse um PowerClip no
CorelDRAW, o Clipping Mask do Illustrator. Para fazer isso, eu preciso colocar essa imagem atrás
do recipiente. Basta que eu selecione essa imagem, eu posso
vir, tanto aqui no painel de camadas, e arrastar ela para baixo, quanto eu posso usar um atalho
de teclado, que é o Ctrl+Shift+[ (colchete), deixa eu ver aqui se é o colchete. Não. No Illustrator, já
é o acento agudo, no Photoshop e no InDesign que é o colchete.
Então, utilizando aqui o Ctrl+Shift+Agudo, ele vai jogar para trás da camada. Agora, eu preciso
selecionar os dois objetos. Vou pegar aqui a Ferramenta Seleção, V, Ferramenta Seleção,
selecionar os dois e pressionar o atalho de teclado Ctrl+7. Olha que maneiro, já está lá dentro
do objeto. Se eu der um Ctrl+Z, eu posso mostrar para
vocês como fazer com o botão direito, ou no menu Object, Clipping Mask, Make, seria o mesmo
Ctrl+7. Ou, botão direito, deixa eu ver aqui… Não, ele não dá aqui a opção no botão direito. Ah, que
tristeza. Então vamos lá! Selecionar todo mundo, Ctrl+7,
pronto! E aí, eu posso simplesmente reposicionar esse objeto, dentro do meu Clipping Mask. Esse
aqui, na verdade, é um dos maiores vilões da galera que não está habituada a trabalhar com
Illustrator. Como trabalhar com esse tal de Clipping Mask.
Você observa que quando você adiciona o objeto em um Clipping Mask, ele acaba virando uma
espécie de grupo, no seu painel de camadas. Onde, você tem aqui, a sua máscara de corte, e
a sua imagem. Olha só! Se você der dois cliques sobre esse grupo, você vai entrar na edição do
grupo que você tem aqui. Isso vai permitir que você possa fazer a edição do seu recipiente do
seu objeto. Se você não conseguir utilizar os dois cliques, é
óbvio que você vai conseguir, você pode fazer de outra maneira: Expandindo o grupo do Clipe
aqui no painel de camadas, clicando nessa setinha, e clicando aqui do lado da camada do
objeto que está com o mesmo nome da imagem. Deixa eu arrastar aqui para fora, para você ver
como eu não estou falando balela. Se você clicar aqui do lado, você
automaticamente seleciona essa camada para seleção. Não basta clicar em cima dela, no
Illustrator é diferente. Tem que clicar aqui do ladinho, aí você entra na edição. Aí, você poderia
muito bem reposicionar e colocar onde você quisesse. Depois, bastaria clicar fora, ou
selecionar aí o grupo, se você quisesse, pronto! Já estaria tudo OK, tudo editado da maneira que
você deseja. Depois de fazer isso, a gente precisa trazer as
próximas imagens para cá também. Vai ser do mesmo jeito, você pode ir lá no Bridge, selecionar
as imagens que você quer. Cadê? Aqui, a primeira imagem que é este rapaz aqui, a
segunda imagem que vai ser esta moça aqui, que já está sem fundo. E a próxima imagem, vai ser
aquela moça bonita, de mochila nas costas. Cadê? Deixa eu ver se acho. Péssima hora para
esse cachorro latir. Pronto! Selecionei as três imagens, quero jogar todas de
uma vez no Illustrator. Para fazer isso, basta você arrastar as imagens para dentro do
Illustrator. Eu sempre me confundo, o amarelo é igual ao laranja do Illustrator, é só soltar aqui
dentro, e as suas imagens estão unicamente inseridas no Adobe Illustrator. Olha que feinhas
que elas estão né? Depois de inserir elas, basta você agora,
trabalhar redimensionando-as, segurando o Shift no caso, no Illustrator a gente trabalha um pouco
diferente. Ah, claro! É óbvio que está errado isso. Eu peguei as imagens erradas. Percebi que
estava minúsculas. Vamos voltar para a pasta que a gente estava, lá para onde nós temos a
imagem original. Agora sim, vou pegar aqui as imagens originais, e agora a gente vai arrastar
para o Illustrator. Só esperar um pouco, claro, bem maior do que
aquelas outras. Vou posicionar as imagens onde eu quero. Uma aqui, outra no meio e outra aqui,
desconsiderando por enquanto, a possibilidade de colocá-las em PowerClip. Sempre que você
for dimensionar uma imagem no Illustrator, utilize o Shift, porque senão ele vai comprimi-la, vai
achatá-la. Utilizando o Shift para dimensioná-la, e posicionar onde eu quero. Eu quero que o
caderninho apareça, tem que aparecer. Pronto. Posicionei, vamos reposicionar essa aqui do
meio, está muito grande, vou diminuir. Essa aqui está do tamanho ideal. O que eu vou fazer
agora? Selecionar os 3 objetos, posso arrastá- los diretamente para dentro do meu Clipe, do meu
grupo de Clipe, ou poderia simplesmente selecionar e colocar no Ctrl+7 do mesmo jeito.
Viram, como na verdade é muito fácil trabalhar com Clipe no Illustrator? Além de utilizando a
camada no grupo de clipes, você pode arrastar qualquer objeto para dentro do recipiente, e editá-
los tranquilamente. Aí, você perde aquele medo de trabalhar com Illustrator rapidinho.
Bom pessoal, imagens inseridas. Se precisar aumentar novamente, você pode utilizar o painel
de camadas. Ou, você pode simplesmente ir dando dois cliques dentro do recipiente, e ir
editando as imagens. Um fato curioso e interessante, é que o Adobe Illustrator vai inserir
para a gente as imagens, como vínculos. Olha que legal.
Se você assistiu o nosso vídeo, onde eu mostro como trabalhar com vínculos, então você vai com
certeza, se familiarizar com os links no Illustrator. Onde, ele insere todas as imagens como
vínculos. Ou seja, se eu por exemplo, fizer qualquer alteração nessa imagem original, aqui no
Photoshop, da imagem original sem fundo no caso, por exemplo essa aqui do moreno.
Se eu fizer qualquer alteração nessa imagem e salvar, quero mudar a cor do olho dele e salvei,
eu não preciso nem inserir a imagem no Illustrator, só preciso selecionar o link dela, e atualizá-lo.
Pronto! Já vai aparecer aqui, a imagem atualizada com os olhos azuis. Isso aqui, eu já mostrei
também, em vários vídeos, em vídeos separados, vídeos de CorelDRAW, mostrei como fazer isso
no CorelDRAW, enfim, é só dar uma olhadinha aí no nosso canal.
Acho que a parte mais difícil, a gente já fez. Agora, só vem a parte mais fácil, que é
simplesmente adicionar os elementos de texto, elementos de caixa de texto, que você vai
precisar inserir de informação, logotipos. Eu recomendo, claro, que para tudo isso, você crie
novas camadas. Vou clicar aqui em Criar uma nova camada, para
colocar os quadros. Vou criar aqui um quadro com o preenchimento branco, deixa eu abrir aqui.
Branco, perfeito. Colocar aqui um quadro no meu plano de fundo, sobre ele no caso, na camada de
cima. Você observa, que ele sempre vai criar os objetos em subcamadas.
Coloquei aqui o meu quadro, que eu vou inserir o meu primeiro texto, que seria o de baixo aqui, é
menorzinho, não é tão grande assim. Vou pegar aqui o V, e diminuo o quadro branco, para o
tamanho que eu achar conveniente. Liute, como é que eu faço para deixar esse
quadro transparente? Existe uma ferramenta de transparência no Illustrator, por exemplo? Você
pode fazer isso, simplesmente selecionando o quadro, abrindo o painel Transparência, o Painel
Transparência que é esse aqui, o Transparency. Não chega a ser uma ferramenta, é um painel
inteiro, só para trabalhar com opacidade. Se ele não tiver aparecendo aqui, não vai estar
aparecendo porque você resetou o Essentials. Vai estar no menu Window, Transparency. Olha
que tanto de paleta. Transparency. Aí, você só precisa diminuir a opacidade para 50% por
exemplo, 40%, digitar o valor que você quiser, enfim, fazer a edição, conforme desejar. Colocar
aqui 50%, e vou deixar sem contorno. Fiz o nosso quadro. Eu tenho um outro quadro,
só que ele é um quadro branco e o outro verde. Eu preciso desenhá-lo de novo? Não. Deixa eu
só alterar aqui essa opacidade de novo, para 70%. Eu não preciso novamente, criar um quadro
e aplicar a transparência. Basta duplicar esse aqui. Como eu já tenho ele, eu posso fazer isso
de 3 maneiras: No Ctrl+C, Ctrl+V, para colar, Ctrl+C, Ctrl+V vai colar ele. Posso simplesmente,
dar um botão direito: Copiar e Colar. Ou, posso arrastar ele, segurando a tecla Alt, seguro o Alt,
arrasto para o lado e pronto! Eu tenho a cópia. Vou redimensionar para o tamanho que eu quero,
que seria aqui no caso, meu segundo quadro verde. Como eu já tenho a ideia pronta, não vou
me dar o trabalho de repensar ela. E aqui, eu tenho um outro quadro que seria branco
novamente. É só eu reposicionar aqui. Aqui, esse carinha, é verde. Vou pintar ele de um verde
escuro. Esse aqui fica branco mesmo. Se você quiser, não utilizar essa opção de dar
dois cliques e escolher a cor, você pode utilizar o painel Swatches, que é o painel Amostras. Aqui,
você tem várias predefinições de cores, inclusive você pode carregar outras, aqui nas bibliotecas.
Mas, aqui é mais fácil para mim. Eu acho melhor trabalhar ali.
Agora, a gente observa que um dos quadros acabou ficando meio esquisito, porque tem que
ficar atrás da mão da moça. Nem preciso dizer, que para fazer isso, basta você posicionar a
camada, que seria essa aqui que está com o pontinho vermelho, junto com o Clipping Mask. Eu
vou expandir aqui embaixo o meu fundo, expandir o Clipping Mask, e vou arrastar para baixo da
camada da moça que está com a mochila nas costas, que seria essa aqui.
Vou selecionar aqui a minha camada, e arrastar aqui para baixo. Já está atrás das mãos da moça.
Ótimo! Perfeito. O que eu preciso fazer agora? Simplesmente, adicionar o texto. Deixa eu, aqui
está tudo em curvas né? Que tristeza. Eu queria copiar, era mais fácil. Mas, para acionar a
ferramenta de texto do Illustrator, é só pressionar a letra T de tatu, clicar sobre a tela, e iniciar a
digitação. O que está escrito lá mesmo? Faça parte da
turma de vencedores do Iepam. Que textinho pequeno né? Deixa eu aumentar ele aqui. Pronto.
Pressiono ESC, para voltar para a ferramenta de seleção, e aí eu posso simplesmente, posicionar,
aumentar para o tamanho que eu quiser, deixa eu ver como está aqui. Está mais gordinha, porque
está em negrito. Prontinho. Esse aqui, diminuir um pouquinho mais.
Enfim, tudo o que você vai fazer agora, é fazer as modificações de fonte, utilizando o painel de
fontes que ele mostra aqui em cima. A fonte lá se eu não me engano, é a SEGOE. Deixa eu
procurar aqui. SEGOE UI, em negrito, seria Bold. E, eu posso diminuir o espaçamento, utilizando
aqui o painel de caractere. Diminuir aqui a altura. Clico aqui em parágrafo, e diminuo à altura das
linhas. Deixa eu ver se é isso mesmo. Certinho. Beleza?! Prontinho!
Eu tenho meu texto digitado no Illustrator, e eu posso simplesmente, continuar trabalhando. É um
programa muito fácil, muito simples. Tem segredo nenhum. É só aumentar o texto com a cor que
você quiser, reposicionar, você trabalha com textos, da mesma forma que trabalharia com
objeto. Aqui eu tenho no caso, letra branca e fundo
preto. Vou só fazer uma cópia deslocada, clicando e arrastando com a tecla Alt. E, essa
que ficou na frente eu vou pintar de branco, para ter o efeito que eu tenho ali. Ctrl+0 (zero),
visualiza todo o meu desenho. Então, basicamente é isso. Tudo o que você
precisaria fazer agora, é inserir as demais informações, para terminar o seu outdoor, fechar
o arquivo e mandar para o seu cliente. Muitas pessoas estão me perguntando: Liute, como é
que funciona essa questão do fechamento do arquivo? Primeiro: No CorelDRAW ou no Illustrator
é a mesma coisa. Você precisa converter todos os textos em curvas, achatar as transparências,
caso você queira evitar problemas, convertendo elas em bitmaps. No caso, bastaria converter
todo o plano de fundo em bitmap e pronto. Mas, neste caso, a principal dúvida é: Como eu
faço em relação ao tamanho? Preciso aumentar para mandar para a gráfica? Isso é claro que
não. Seria óbvio, ou inútil você trabalhar com uma proporção, se no final, você precisaria aumentar
tudo e mandar para a gráfica. Não! Quando você finaliza o projeto, finaliza no mesmo tamanho que
você produziu. Produza, feche o arquivo, mande para a
comunicação visual ou para a gráfica, sabe lá quem vai imprimir. Quando chegar lá, o pessoal
que faz a impressão, é que vai fazer o escalonamento. É ele quem vai redimensionar,
utilizando os recursos da própria plotadora, do próprio software de impressão. Você não
precisa se meter nisso. Você só precisa dizer para ele assim: Olha, é um outdoor de 27 metros.
Claro que ele vai aumentar proporcionalmente, 27×3 metros. Ele vai aumentar, porque ele vai
perceber que você trabalhou com proporção. Então, tudo o que você precisa fazer, é produzir
o material em grande formato proporcionalmente, fecha o arquivo dessa maneira e manda para a
gráfica. Como o nosso vídeo ficou muito grandão, eu não
vou falar sobre o fechamento agora. Mas, prometo que vou gravar um terceiro vídeo sobre
esses outdoors, mostrando como realizar o fechamento do projeto final, para enviar para a
impressão. Gente, desculpem o tamanho do vídeo, o vídeo
ficou longo para caramba, mas foi necessário. Eu espero que vocês tenham gostado das dicas. Se
você tiver qualquer dúvida em relação do que foi mostrado aqui, é só comentar aqui embaixo, eu
respondo todo mundo. E também, não esquece de clicar em Gostei, para
ajudar o projeto, de compartilhar com seus amigos, favoritar o vídeo. Você me ajuda para
caramba. Se você está vendo esse vídeo, e é a primeira vez no nosso canal, se inscreve aí
embaixo também, e não deixa de visitar o clubedodesign.com. Todos os links vão ficar aqui
embaixo na descrição do vídeo. O Clube do Design, que é o nosso projeto principal, é o
nosso site. Então é isso galera. É só salvar, é só fechar e
pronto. Está tudo acabado. Um forte abraço para vocês!
Até a próxima vídeo-aula. Tchau, tchau!